sábado, 6 de junho de 2009

CORRIDA

Corro,
Gritando no corpo e gemendo na alma
Na esperança da angústia aqui ser
Dilacerada e deixada para
que eu possa em paz seguir.

Corro,
Na esperança de vidas perdidas
Reencontrar. Aquelas nas quais era
De fato mulher e mais
Feliz.

Agora não mais corro
E sim caminho, pois
A corrida te leva tão
Rápido aquilo que de bom
Constróis, quanto aquilo
Que de mal te pode
Acontecer.

Assim,
Prefiro agora a caminhada lenta
Na qual posso aprender
Do que a corrida
Na qual tanto posso aprender
Como também
Perder algo de caro.

Caminhando ou correndo
Simplesmente faça
O que deves e sigas em
Paz!

2 comentários:

  1. Oi minha linda, bonita e expressiva poesia que nos faz refletir sobre as próprias escolhas e modo de encarar a vida em suas diversas facetas e atividades impostas. Bjs com carinho.

    ResponderEliminar
  2. "Conte a sua história ao vento,
    Cante aos mares para os muitos marujos;
    cujos olhos são faróis sujos e sem brilho.
    Escreva no asfalto com sangue,
    Grite bem alto a sua história antes que ela seja varrida na manhã seguinte pelos garis.
    Abra seu peito em direção dos canhões,
    Suba nos tanques de Pequim,
    Derrube os muros de Berlim,
    Destrua as catedrais de Paris.
    Defenda a sua palavra,
    A vida não vale nada se você não
    viver uma boa história pra contar."
    (Pedro Bial)

    Na impossibilidade de entrar em detalhes, como eu gostaria imensamente como todos amigos que tenho, venho trazer um pouco de poesia e desejar que seu domingo, sua nova semana seja de mil cores, que tenhas muitas alegrias!

    Um abraço

    Sônia

    ResponderEliminar